Para rir um pouco

Música do dia: Smosh – Meat in your Mouth

Para quem não conhece, Smosh trata-se da dupla de humoristas americanos Ian Andrew Hecox e Anthony Padilla, eles foram precursores dos canais de vídeo humorados, começando com paródias de músicas e depois de jogos de video game, séries, filmes e situações do dia-a-dia.

Vale a pena dar uma conferida no trabalho dos caras, garanto que encontrarão muita semelhança com o Porta dos Fundos, Parafernalha, Irmãos Piologo e afins…

Have a nice week! Shut up!

Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário

A song from the past

Música do dia: The Police – Message in a Bottle

“A year has passed since I wrote my note
I should have known this right from the start
Only hope can keep me together
Love can mend your life
But love can break your heart”

Nada melhor que estar em casa e ouvir o som do bom e velho vinil.

Escolhi um LP bem antigo do The Police, Regatta de Blanc, um album bem interessante, além de muito utilizado como inspiração na música pop. Fica a dica.

Nota | Publicado em por | Deixe um comentário

Vinho é bom mas whisky é mais rápido…

Música do dia: Ozzy Osbourne – Suicide Solution

“Wine is fine, but whiskeys’ quicker, suicide is slow with liquor… Take a bottle drown your sorrows, then it floods away tomorrow…”

Essa sem sombra de dúvida é a frase que melhor define a atualidade, o bom e velho Ozzy sempre foi e sempre será um visionário para mim. Para quem ficou com preguiça de traduzir no Google Translate, ou similares, aqui vai uma tradução livre (perdão, pode ser uma tradução descuidada, meu português anda meio enferrujado, hehe): “vinho é bom, mas o whisky é mais rápido, suicídio é lento com bebidas… Tome uma garrafa para afogar suas mágoas, aí elas transbordarão amanhã…”

Odeio traduções, o sentido da frase se perde muitas vezes na tradução… enfim, em inglês faz sentido 🙂

Tive o prazer de ouvir essa música sendo utilizada no seriado Californication, em um de seus primeiros episódios, há longos 7 anos atrás, quando ainda tinha o canal Warner (bons tempos…)

Claro que o uso foi a la Californication, ou seja, uma cantada barata do nosso querido escritor (ele ainda não havia se tornado um professor), Hank Moody (David Duchovny, o agente Mulder do Arquivo X), que deu certo, mas nem tanto. A garota em questão levou a coleção de vinis e a guitarra dele embora após o mènage (mas devolve tudo depois…)

Voltando às maravilhosas estrofes do grande Ozzy, o que a sociedade aconselha é justamente isso: afogue as mágoas hoje, amanhã é outro dia… Por isso eu gosto tanto do Ozzy, ele não tem papas na língua, diz na lata o que pensa e ponto e mais, acrescenta que se tu for fazer isso, que faça direito: vinho é bom, mas whisky é mais rápido… (filósofo!)

É claro que esse conselho, como vários outros que a sociedade nos dá, está nas entrelinhas sempre, seja na educação (notas ruins = está ferrado mesmo, partiu beber), no trabalho (muito stress, frustração? Happy Hour é a solução), no dia-a-dia mesmo (aquele dia do cão, em que cortaram a fila na sua frente, não te deram o troco certo ou passarinho esolheu você como alvo, beba um pouquinho que logo passa…), entre vários outros exemplos…

Não importa o que esteja te oprimindo, é mais fácil afogar as mágoas bebendo que enfrentar de peito aberto, doa o que doer. É a filosofia do ser político: como causar menos atritos? Enfrentando o problema de frente e criando possíveis inimizades ou simplesmente ignorando-o para manter o status quo? A segunda opção é sempre a mais válida aos olhos da sociedade.

Algo bem oportuno para os produtores de bebidas não é mesmo? Diria o mesmo para os traficantes de drogas, quando a bebida não faz mais efeito (o Ozzy que o diga…).

Bom, o fato é que a bebida pode afogar as mágoas instantaneamente, mas o efeito é momentâneo, então, trate de encarar os problemas de frente e de peito aberto, senão só vai ficar aí, se embebedando, se drogando, se enganando…

Publicado em besteiras | Marcado com , , , , , | Deixe um comentário

Um pequeno experimento…

Música do dia: Pixies – Where is my Mind?

Muitas vezes nos deparamos com momentos em que decisões tornam-se difíceis, as pessoas nos incomodam e as regras (ah as regras…) nos sufocam.

Esses sentimentos são compartilhados por milhões de adolescentes e jovens hoje em dia, principalmente os de classe média de países em desenvolvimento e desenvolvidos. E o motivo, pasmem, é terem tudo o que seus pais não tiveram: liberdade, autonomia e a falta de uma causa sólida.

Aqui no Brasil vivemos no ano passado um lampejo de uma possível causa que se materializou em protestos. Foram inicitivas louváveis, porém sem a tal da causa, logo perderam força. E se houvesse um líder, uma figura carismática, que estivesse liderando um dos movimentos e não o deixasse morrer. Será que os outros movimentos não poderiam se alinhar a este e formar um movimento conciso, com uma causa sólida?

Esses dias estava utilizando minha conta do Netflix e me deparei com um filme alemão de 2009 que explorou muito bem essa possibilidade. A história se passa numa escola preparatória, onde os professores devem desenvolver um assunto específico durante uma semana com os alunos, fazendo-os mergulhar mais no tema.

Um dos professores ficou com a bomba da autocracia, mais conhecida por nós como ditadura. Como  filme se passa na Alemanha, tal assunto é um taboo e tanto, afinal o 3º Reich não morreu há tanto tempo assim… Esse, na verdade, foi o ponto de partida da experiência mais realista de que é possível instaurar uma ditadura sem muito esforço. É lançada uma provocação por um dos alunos: “é impossível haver uma ditadura novamente na Alemanha”.

O professor então propõe um experimento com a turma: primeiro desfaz os grupos e mistura alunos de boas notas com os de notas ruins e os instrui a se ajudar em suas dificuldades. Propõe também a utilização de uniformes e de uma saudação exclusiva. Outro aluno propõe a escolha de um nome para o grupo. A partir daí A Onda (nome escolhido para o grupo), toma forma e vai crescendo até ficar fora de controle e arrastar todos que a compõem para um desfecho não muito agradável.

Vale a pena assistir, segue abaixo o trailer do filme:

 

Publicado em divagações | Marcado com , , , , | Deixe um comentário

origens de uma nova perspectiva

Resolvi deixar de preguiça e retomar este blog há muito abandonado…

 

Ahhh, bons tempos os de faculdade, em que há tempo e material de sobra para pesquisar e debater os mais diversos assuntos aqui neste lugar anonymous que é a internet…

 

Enfim, muito tempo se passou, muita coisa mudou e tá na hora de (aos poucos) readequar este blog aos tempos atuais. Mudanças no visual estão por vir, novos assuntos, tópicos diferentes, não teremos outros colaboradores aqui por enquanto, mas pretendo armar umas parcerias no futuro.

 

Comecemos pelo título do blog: Insanidade Consciente Constante. Parece absurdo, confuso e abstrato, mas na realidade hoje tem muito mais sentido que no ano em que o lancei. A insanidade virou uma constante na vida das pessoas, a tal ponto de ser um estado de espírito consciente, algo inadmissível em tempos não tão remotos assim…

 

Digo isso através de uma análise superficial de nossa rotina extremamente turbulenta, com seu tráfego de terabytes de informações que devem ser assimiladas instantaneamente para que você, eu e qualquer um que seja, esteja devidamente bem colocado, profissionalmente falando.

 

Às vezes, esse tráfego de informações atinge níveis que apenas pessoas insanas (que abdicam de suas próprias vidas, sem se dar conta disso) conseguem absorvê-lo. Porém, hoje esse tipo de pessoa não é mais considerada insana e sim consciente. Isto porque hoje é uma constante estar neste estado de alienação consciente: você se aliena de sentimentos, convívio e diversão e compromete-se apenas com as obrigações (você deve estudar, fazer um exercício físico, ter uma relação estável, um emprego que te remunere bem), esquecendo-se que pode tirar proveito dessas atividades também. É triste, mas é a realidade de muita gente que, pasme: nem se deram conta disso ainda.

 

Assim chegamos no primeiro porquê deste blog: “Por quê este nome?”

 

Nos próximos posts mais revelações para melhor compreensão do que ele será daqui em diante…

Publicado em Perspectiva | Marcado com , , , , | Deixe um comentário

Votações sobre a colação

Favor votar em todas as enquetes abaixo.

Votem com consciência!!!!!

Beijo abraço!

Publicado em administração pública, besteiras | Marcado com , , , | 8 Comentários

A volta dos que não foram…

Mais uma vez deixei este blog às traças não? O que aconteceu com as ideias espontâneas, as brincadeiras sem graça e a escrita descompromissada?

Sim meus caros leitores (se é que ainda tenho algum), está difícil povoar com palavras esses bytes deste endereço. A vida está corrida, o tempo ruge e a Sapucaí é grande…

Para quem não sabe ainda, tive a grande sorte de entrar como estagiário na América Latina Logística S/A, grande empresa brasileira de logística. Seu status, atualmente, é de maior empresa do ramo na América Latina.

Além disso, estou dando aquele sprint final para me livrar da faculdade, últimas disciplinas, infelizmente as mais dolorosas… Sem contar o estágio obrigatório no qual devo me inscrever até o fim deste mês…

Em outras palavras estou fazendo o impossível e o improvável para dar conta de tudo e quem está sofrendo com isso é este pobre blog…

Para ajudar ainda mais a sobrevida dele, estou sem conexão à internet em casa… É pra acabar não?

Mas espero recuperá-lo aos poucos, nos intervalos entre-aulas, nas horas livres para entretê-los e também para apaziguar a alma desta pessoa que vos escreve.

Publicado em besteiras, divagações | Deixe um comentário